Header Ads

Floyd defende árbitro: "Pensou no futuro do Conor"

____________________________

Floyd defende árbitro: "Pensou no futuro do Conor"


Floyd Mayweather fez história no último sábado (dia 26), ao nocautear Conor McGregor aos 1 minutos e 5 segundos do décimo round na talvez mais esperada luta da história. Finalizando sua carreira invicto e com uma sequência de cinquenta vitórias seguidas no esporte, o atleta mais bem pago da atualidade ficou satisfeito com o embate e seu desfecho, algo que seu adversário parece não ter digerido muito bem.

Na entrevista pós-luta ainda no ringue, McGregor expôs seu descontentamento com a interrupção de Robert Byrd, afirmando que ele ainda estava e tinha condições de seguir. Chegando depois a citar sua segunda luta com Nate Diaz, no UFC 202, onde ele passou por um sufoco devido ao cansaço no meio dela, mas se recuperou e saiu com a vitória.

O "Notório" explicou ainda ano ringue:

"Eu já estive nessa situação, fui estrangulado ao vivo na TV, e dei a volta por cima. Eu gostaria que ele tivesse nos deixado continuar. Eu disse que seria disputado, eu chego a ficar meio tonto quando estou cansado, algo que aconteceu na segunda luta com Diaz. É fadiga! Por isso que eu digo que o árbitro deveria deixar a luta correr. Me deixe ser derrubado, deixe o homem me derrubar no chão. Tontura e fadiga é energia, e não dano. Eu estou lúcido".

Já na coletiva, McGregor reforçou sua decepção com o fim da luta:

"Eu gostaria de ter chegado até o final dos 12 rounds. Eu acho que eu merecia ouvir o soar do gongo final, mas o que posso fazer? Vocês podem dizer o que for, mas eu trabalhei muito duro para chegar até aqui".

Também em coletiva de imprensa logo após o combate, Floyd declarou:

"O árbitro estava pensando no futuro do Conor. Você é jovem (Conor McGregor), precisa lutar de novo, ele está salvando você e não a mim. Se você tivesse caído, as pessoas iam perguntar por que o árbitro deixou seguir. Eu falei para vocês, lutei contra os melhores do mundo na minha carreira. Mais de 90% das minhas lutas foram assim. Quando entramos no quinto round, falei para Conor: "Já passou do quarto round e você ainda não me nocauteou. Me mostre a sua força". Ele brincou comigo. Foi piadista. Mas assim é o boxe. Atletas falam muitas coisas durante a luta, a gente tem que se testar. Ele tem um golpe forte, mas precisa acertar".

Fonte: Combate