Header Ads

Inconformado com resultado, Werdum vai recorrer de derrota para Overeem

____________________________

Inconformado com resultado, Werdum vai recorrer da derrota para Overeem


Muito polêmica e contestado, o resultado da luta entre Fabrício Werdum e Alistair Overeem, na co-luta principal do UFC 213, deu o que falar. Se para diversos fãs e jornalistas a derrota do brasileiro pareceu um erro, para o próprio não há dúvidas.

Visivelmente insatisfeito ao deixar o octógono no último sábado (dia 8), o ex-campeão dos pesos-pesados afirmou em suas redes sociais que pretende entrar com um recurso na justiça para a revisão do resultado da luta. Chegando a considerando a vitória de Overeem por decisão majoritária um erro.

Em entrevista, o gaúcho disse estar certo de que ganhou o primeiro e terceiro round. E que fez o bastante para conquistar a vitória naquela noite. Mesmo não considerando que o "erro" e a decisão contra ele por parte dos juízes, tenha sido de má fé:

“Eu acho que ganhei o primeiro round por uma pequena vantagem. Eu troquei muito mais, procurei a luta, corri atrás para que ela acontecesse. Se dependesse do Overeem, ficaríamos parados, um olhando para a cara do outro. Tive que tomar a iniciativa. Na hora do descanso, o mestre Rafael Cordeiro falou: “Werdum, ganhamos o primeiro, mas é para se movimentar mais, colocar mais o ritmo”. No segundo, puxei duas vezes para a guarda, ele acertou mais golpes naquele momento, acho que ganhou o segundo. No terceiro, eu venci claramente. Eu procurei a luta o tempo inteiro, dei o ritmo. Botei para baixo, dei o knockdown. Quem chegou mais perto da vitória fui eu. Ele chegou a cair. Foi o que eu vi, o que todo mundo viu. O que estou recebendo de mensagens… Vou entrar com recurso, não digo roubo, em nenhum momento disse isso. Erros acontecem, é normal. Não só no mundo do MMA, em tudo. Quantas vezes vimos resultados assim em outros esportes? Aconteceu um erro. A Comissão de Nevada deu essa oportunidade aos atletas de recorrerem, então vou recorrer. É um direito. É um resultado importante para mim, vou correr atrás disso. Não quero dizer que me roubaram ou coisa assim, quero deixar bem claro, mas enganos acontecem. Os juízes não viram a mesma luta. Não é perseguição, uma coisa comigo. Acontece, mas vamos ver se consertamos isso”.

No terceiro e último round o brasileiro alcançou o ponto alto de sua performance no duelo. "Vai cavalo" conseguiu um knockdown após lançar uma joelhada contra o queixo do holandês, Alistair chegou a cair devido a potência do golpe, porém, logo se levantou. Werdum encurtou a distância e disparou uma sequência de golpes que foram minando o oponente, mas ao invés de continuar e buscar o nocaute na trocação, o peso-pesado optou por quedá-lo com um double leg e manter a luta no chão até o fim do tempo. O mesmo aproveitou para explicar o motivo dessa estratégia:

“Eu não continuei a bater em pé porque estava seguindo a estratégia toda que havíamos feito. Acertei aquele um, dois e uma joelhada, no terceiro round, fizemos no vestiário. E realmente aconteceu na luta. Não continuei batendo porque sempre sigo meus professores. Se eu batesse e não nocauteasse em pé, falariam: “Por que não botou para baixo, já que você é do jiu-jítsu?” Sempre tem as pessoas falando alguma coisa. Eu segui a estratégia, no momento que se encolhesse, ia botar para baixo. E foi o que fiz”.

Mesmo com recurso para a anular o resultado com toda sua atenção agora, o brasileiro declarou que ainda pretende retornar aos octógonos nesse segundo semestre do ano.

“Quero lutar o quanto antes, pretendo lutar em novembro. Não quero ficar muito tempo sem lutar. Quero fazer duas ou três lutas por ano. Quanto mais luta, mais confiança, mais experiência. Três por ano é perfeito. Não tive nenhuma lesão grave. Tenho que tirar meu tempo, umas férias, cumprir os seminários, palestrar e presenças… Aproveitar o momento para fazer isso”.

Fonte: Combate