Header Ads

Bisping se irrita com comparações a Germaine De Randamie

____________________________

Bisping se irrita com comparações a ex-campeã Germaine De Randamie

Recentemente, o campeão dos médios do Ultimate, Michael Bisping, decidiu responder em seu podcast as críticas feitas à ele, o comparando a ex-campeã holandesa Germaine De Randamie. Que foi destituída de seu posto e teve o cinturão do peso-pena feminino (conquistado no UFC 208 sobre Holly Holm, na inauguração da divisão) por explicitamente se recusar a enfrentar como desafiante, a primeira colocada no ranking da categoria: a brasileira Cris Cyborg.

O inglês aproveitou para explicar o motivo de que sua primeira defesa de título ser contra o veterano em fim de carreira (literalmente última luta do americano), Dan Henderson, no UFC 204, em Manchester (Reino Unido).

“Tenho que ter muito cuidado com o que eu digo, porque sei que todo mundo vai falar uma porção de m*** sobre o que eu disser. “Você é um covarde de m***, defendeu seu cinturão contra a p*** do Dan Henderson! Você está fugindo dos principais desafiantes!” Não foi isso o que aconteceu, seus filhos da p***. O UFC me ofereceu a luta contra Dan Henderson, e depois eu tive que operar o meu joelho. Na verdade, operei meus dois joelhos”.

Mesmo com as comparações a De Rndamie não agrandando, o "Conde" admitiu entender a razão delas. Isso do ponto de vista dele, vinda de um público médio que não tem um conhecimento profundo do que acontece nos bastidores.

“As pessoas sempre associaram Germaine de Randamie a mim desde o início porque, assim que venceu Holly Holm e conquistou o cinturão peso-pena do UFC, ela disse imediatamente, ainda no octógono, quando Joe Rogan tentou encaminhar uma luta dela contra Cris Cyborg: “Não, não vou poder lutar. Tenho que operar a minha mão.” Ela fugiu da desafiante número um assim que conquistou o cinturão, ainda no octógono! Depois, na coletiva de imprensa, ela disse que deveria fazer uma revanche contra Holly Holm, porque a luta foi muito equilibrada. Peraí! Você tem que operar a mão ou não? Eu sei que as pessoas vão me atacar por todos os lados, porque parece, para quem está do lado de fora, que eu estou fugindo de Yoel Romero, o que não é verdade de forma alguma. Eu passei por duas cirurgias. Voltei a treinar agora, mas ainda não consigo passar por um camp completo de treinos. Mas eu entendo os paralelos que as pessoas traçam entre a minha realidade e a de Germaine de Randamie, e entendo que elas me chamem de hipócrita”.

Fonte: Combate