Header Ads

Weidman quer revanche; Mousasi critica: "Não quis lutar"

____________________________

Weidman quer revanche; Mousasi critica: "Não quis lutar"


Sem dúvidas o lance mais polêmico da noite do último sábado, no UFC 210, foram as joelhadas desferidas por Gegard Mousasi em Chris Weidman, na co-luta principal da edição. De acordo com o novo regulamento do Ultimate, agora são permitidas joelhadas em oponentes mesmo com os três apoios, e caso o atleta atingido tente configurar quatros apoios na regra para não ser atingido pelos golpes, as mãos devem estar completamente firmadas no solo e não apenas as pontas dos dedos como sempre foi.

No momento das duas joelhadas lançadas por Mousasi, Weidman se encontrava com apenas as pontas dos dedos de suas mãos tocadas no chão do octógono. De imediato, o lance ficou confuso e o árbitro Dan Miragliotta interrompeu a luta acusando golpes ilegais. Porém, após ser informado pela comissão atlética que as joelhadas foram na verdade legais, Miragliotta voltou atrás e avisou Weidman. O americano ainda tinha cinco minutos para se recuperar, mas ao ser avaliado os médicos do evento aconselharam ao árbitro a interromper a luta por nocaute técnico. E assim foi feito, o duelo foi encerrado aos 3 minutos e 13 segundos do segundo round por TKO, sagrando Mousasi o vencedor.

O "All-American" e ex-campeão dos médios, já declarou que irá entrar com um recurso na Comissão Atlética de Nova York requisitando que o resultado seja transformado em um "No Contest" (luta sem resultado), já que os árbitros que atuam no estado não podem conferir a replays com o intuito de apurar golpes duvidosos, ação que já é permitida após o lançamento do novo regulamento do UFC.

"O tempo todo estavam me dizendo que foi uma joelhada ilegal e que teria cinco minutos. Achei que eu fosse ganhar por causa de uma joelhada ilegal. Então eles olharam o replay, ele (o árbitro central) saiu do octógono para olhar o replay e disse que foi uma joelhada legal, mas no estado de Nova York não existe replay. Se foi uma joelhada legal, eu adoraria seguir lutando. Não deveria ter sido parada (a luta), mas o árbitro, no fim das contas, é quem faz o julgamento no estado de Nova York, sua palavra é que vale. Não tem replay. Você não pode voltar e rever. Gostaria de fazer a revanche. Sinto que estava caminhando para vencer a luta. Sei que obviamente Gegard ficou irritado também. Ele não queria ganhar daquela forma. Eu estaria irritado se eles parassem e eu ganhasse a luta. Eu com certeza faria a revanche, então quero a revanche imediata - afirmou, na coletiva de imprensa do UFC 210."

Questionado, Mousasi criticou ao seu adversário. Afirmando que Weidman quis tirar vantagem das novas regras e não se deu bem, sem contar que para ele o americano não demonstrou nenhuma vontade de continuar com o combate. Gegard mesmo se mostrou disposto a uma revanche, porém, deixou claro que seu objetivo agora é o cinturão. Além de questionar sua importância e tratamento dentro da organização.

"Tenho muito respeito por Weidman, não quero falar mal dele, mas se você quer ser esperto e tirar vantagem das regras, não é minha culpa. Não tente tirar vantagem das regras. Estou lutando e, no fim de tudo, foi legal. Isso é o que todos dizem agora. Foi uma joelhada legal. Não faço as regras. Foi legal e senti que ele não quis continuar. Acho que todos viram isso. Ele não quis continuar. Como isso é minha culpa? Não dou a mínima, eu ganhei. Se ele quer a revanche, posso dar a ele, mas estou perseguindo o título. Se eu lutar com Bisping, acho que serei o favorito. Lutar com Weidman é duro, fio uma luta dura, ele ganhou o primeiro round, eu estava voltando no segundo e o machuquei. Mas tanto faz, eu não sou o matchmaker. Não queria ganhar desse jeito, mas é uma vitória. Em alguns jogos de futebol, eles marcam um gol de pênalti e ganham. É uma vitória e eu aceito ela. Ele não quis lutar e isso não é minha culpa. Meu objetivo é ganhar o cinturão do UFC. Não estou procurando ir para nenhum outro lugar, mas eu deveria ser melhor pago. Eu vencei Jacaré, venci Dan Henderson, venci Mark Hunt, venci Vitor Belfort e venci Weidman. Todos eles estão ganhando mais dinheiro do que eu. Por que isso? É pela minha nacionalidade? Querem que eu pinte meu cabelo de loiro?".

Fonte: Combate