Header Ads

Cyborg: "Só volto a bater 63kg se for para lutar contra Ronda"

____________________________

Cyborg: "Só volto a bater 63kg se for para lutar contra Ronda"


A brasileira campeã peso-pena do evento de MMA, Invicta FC, Cristiane "Cyborg Justino luta e defende seu cinturão no peso-pena (66 kg). Porém, não existe tal categoria de peso feminino fixa no UFC. Cyborg fez sua estreia no evento nocauteando a americana Leslie Smith (UFC 198), e mais tarde derrotando a sueca, Lina Lansberg (UFC Fight Night 95), ambas em peso combinado (63,5kg).

O presidente do UFC, Dana White, já declarou publicamente que não existe material humano para fundar uma categoria peso-pena (até 66 kg) para mulheres no evento. No momento, as faixas de peso feminino na organização, são: peso-palha (52 kg) e galo (62 kg).

Cyborg já demonstrou extremo desgaste físico e emocional para bater os 63,5 kg. Em entrevista, a brasileira declarou que só voltaria a repetir o processo, caso sua oponente fosse Ronda Rousey: 

“Eu bati 63,5kg pela primeira vez em Curitiba, porque eu iria lutar na minha cidade. O mais importante agora é ter uma chance de enfrentar Ronda no peso-casado de 63,5kg. Mostrei que posso bater esse peso para uma superluta. Na segunda vez que bati o peso, na verdade, eu deveria defender meu cinturão dos pesos-penas do Invicta, mas surgiu a chance de lutar no peso-casado de novo no Brasil. Respeito todas as minhas adversárias. Ninguém conhecia Lina Lansberg, mas ela tinha 70 lutas de muay thai. Ela é muito boa. Mas eu só me sacrificarei novamente e bater os 63,5kg se for para fazer uma superluta contra Ronda Rousey, algo que os fãs gostariam de ver. Minha última adversária luta no peso-pena. Não acho que valha à pena enfrentar atletas dessa categoria tendo que baixar de 66,3kg para 63,5kg. Se você quer uma superluta, o peso é o menos importante. Pode ser em qualquer um”.

Mesmo estando decidida de seu futuro no esporte, Cyborg não acredita que Rousey a enfrentará algum dia. Vencendo ou perdendo a atual campeã, Amanda Nunes, no UFC 207, em dezembro, a brasileira não vê seu confronto se concretizando contra a americana:

“Se Ronda quisesse me enfrentar, ela já teria feito isso. Ganhando ou perdendo sua próxima luta, ela não vai aceitar lutar comigo. Isso eu já sei. Ela não gosta de se desafiar. Se perder, ela se aposenta. Se ganhar, vai dizer que eu tenho que bater o peso para desafiar a campeã e outras coisas que já disse antes. Ela não está ali para fazer grandes lutas. Ronda escolhe suas adversárias, por isso, acredito que essa luta não vai acontecer. Sei que Dana diz: ‘Ronda quer muito essa luta!’ Se ela quisesse mesmo, já teria acontecido. Não acredito em uma palavra do que eles dizem sobre isso.”

Fonte: MMA Space