Header Ads

Bisping quer testes semanais em Romero: "Ele é o maior trapaceiro do MMA"

____________________________

Bisping quer testes semanais em Romero: "Ele é o maior trapaceiro do MMA"


Atual campeão peso-médio do UFC, Michael Bisping sabe que Yoel Romero é o principal candidato a enfrentá-lo em uma disputa pelo cinturão da categoria até 84kg. Não apenas pelas oito vitórias consecutivas do americano de origem cubana, mas principalmente porque, neste caminho, ele derrotou grandes nomes da divisão como Lyoto Machida, Ronaldo Jacaré e o ex-campeão Chris Weidman. No entanto, o britânico não se impressiona com o currículo do rival e o alfineta, lembrando do caso de doping no início de 2016.

“Uma coisa está claro: ele (Yoel Romero) é o maior trapaceiro em todo o MMA. A cada luta, ele faz algum tipo de trapaça. Nesta última luta, teve “cutucão” nos olhos e o excesso de água sobre o corpo, exatamente igual ao que ele fez contra Tim Kennedy. E ele ainda segura na grade ou testa positivo no doping. Me desculpem, mas eu ainda não acredito que ele esteja limpo. Gostaria que fossem feitos testes muito rigorosos durante o camp. Definitivamente, quero que ele seja testado de forma aleatória, uma vez por semana, durante o seu camp. Porque há vários pequenos truques que podem ser feitos nesse período”.

Enquanto Yoel Romero acabou de nocautear Chris Weidman no UFC 205, Michael Bisping lutou no início de outubro, batendo Dan Henderson por decisão unânime após cinco rounds. Por isso, aliado a vontade de passar as férias de final de ano com a família e com a pouca capacidade do americano em vender pay-per-views, o campeão peso-médio acredita que esta luta só venha a acontecer no meio de 2017.

“Bom, ainda não vimos os resultados dos testes antidoping dele. Se esta for minha próxima luta, vou ficar muito feliz. Quero enfrentar os principais lutadores da divisão, sou o campeão e tenho que fazer isso. Mas não estou pronto. Disse ao Dana White que quero recuperar meu joelho, me foi dito para não correr por um mês e quero passar o Natal em casa. Além disso, Romero não vende muito e, talvez, teríamos que ter no card do evento outra disputa de cinturão”.